Faculdade Murialdo

O Direito da Mulher – do século XIX ao XXI: palestra mobiliza acadêmicos

Março é o Mês das Mulheres. Elas são estudantes, trabalhadoras, mães, muitas vezes chefes de família: símbolo de força, garra, delicadeza e determinação. Data que, além de comemorar as lutas do movimento feminista, busca incentivar a reflexão e reconhecer o papel da mulher na sociedade. Com este propósito, a Faculdade Murialdo (FAMUR), por meio da Coordenação Acadêmico-Pedagógica, do Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP) e da Pastoral, realizou, nesta terça-feira, 26 de março, às 19h15min, no Miniauditório I da Unidade Sede (Rua Marquês do Herval, 701 | Centro), a palestra O direito da mulher – do século XIX ao XXI, ministrada pela advogada e professora Ma. Pavlova Perizzollo Leonardelli.

O evento reuniu os acadêmicos da Instituição e interessados e aprofundou a reflexão de que, durante séculos, as mulheres enfrentaram dificuldades desde a impossibilidade de votar até a violência doméstica que, ainda, muitas sofrem diariamente. Apesar das vitórias conquistadas, permanecem problemas a serem resolvidos e discriminações a serem desfeitas como a desigualdade salarial e a conciliação da maternidade com a vida profissional.

 

Para Pavlova por séculos a figura feminina foi considerada como algo frágil, que deveria ser protegida pelo pai ou marido. Porém, esse molde de fragilidade da mulher foi mudando ao longo da história. “No século XIX, com o surgimento da revolução industrial, a mulher deixou de prestar somente afazeres domésticos para ir às industrias, trabalhar nas fábricas. No entanto, foi só no século XX que o papel da mulher realmente mudou. As várias lutas e movimentos feministas desencadearam em uma série de conquistas, entre eles o direito de voto, ocorrido no Brasil em 1932 na Era Vargas”, argumenta.

 

Atentos, os acadêmicos acompanharam a palestra. “Gostei bastante, porque conhecer a história da luta das mulheres é fundamental para a vida da gente. Como mulher fico triste pelas desigualdades e preconceito que ainda sofremos. Por outro lado, nos acalenta e me deixa orgulhosa saber que evoluímos”, defende a acadêmica do curso de Recursos Humanos, Josiele de Andrade.

 

Além da palestra, os participantes puderam compartilhar suas ideias referente ao tema, bem como sanar suas dúvidas.

 

 

Imprimir Notícia