Faculdade Murialdo

Professora e psicóloga Drª Gênesis Sobrosa palestra sobre Síndrome de Bournout

A Faculdade Murialdo (FAMUR), por meio do Núcleo de Apoio Pedagógico (NAP), promoveu ontem, 30 de março, uma palestra sobre Síndrome de Bournout destinada aos professores da Instituição. O encontro foi ministrado por Gênesis Sobrosa, que é psicóloga pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), possui mestrado em Psicologia, com ênfase em Psicologia da Saúde na UFSM e doutorado em Psicologia Clínica da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Gênesis, que é professora da FAMUR, durante a palestra chamou a atenção para a importância da saúde mental do trabalhador e os cuidados com o estresse relacionado a situações de trabalho, a pressão emocional e as relações interpessoais desgastantes.

A iniciativa buscou oportunizar condições de formação para o desenvolvimento profissional docente, visando a prática do ensino investigativo por meio da inovação pedagógica e da Pedagogia do Amor. Após a palestra, a professora Gênesis concedeu uma entrevista. Confira:

 

O que é a Síndrome de Bournout? Que pessoas ela atinge?

Gênesis: A Síndrome de Burnout (SB) é uma resposta emocional a situações de estresse crônico em função de relações interpessoais constantes, afetivas e intensas em situações de trabalho. É um fenômeno psicossocial constituído de quatro dimensões: Exaustão Emocional, Despersonalização, Baixa Realização Profissional e a Culpa. Essas dimensões devem ser levadas em consideração no momento de fazer o diagnóstico. De acordo com pesquisas científicas, os grupos de profissionais que são mais atingidos pela (SB) são os bombeiros, policiais, professores e profissionais da saúde.

 

Qual a importância de conversar com os professores sobre a doença?

Gênesis: A Síndrome de Bournout ainda é pouco conhecida no Brasil. No entanto, afeta um número muito alto de trabalhadores. Na maioria dos casos a SB é confundida com a depressão e isto acarreta em um tratamento ineficiente para o indivíduo. Logo, é de extrema relevância ter momentos de conversa com os docentes para oportunizar esclarecimentos e trocas de experiências que os mesmos já vivenciaram.

 

Quais os sintomas? E como tratar a síndrome?

Gênesis: Os principais sintomas são: perda de interesse pelas atividades de seu trabalho; exaustão física e emocional; sentimento de irritabilidade em relação as atividades relacionadas ao seu trabalho; atitudes de indiferença em relação as realizações das atividades laborais; sentimento de culpa e de cobrança social acerca do comportamento e das suas atitudes negativas desenvolvidas no trabalho. O tratamento consiste em psicoterapia individual com um psicólogo e, em alguns casos, é necessário também o acompanhamento de um médico psiquiatra para receitar o uso de medicamentos por um determinado tempo.

 

O que as pessoas podem fazer para evitar a doença?

Gênesis: O indivíduo em si, infelizmente, sozinho não tem como evitar as situações que causam o seu adoecimento, advindo das relações que são estabelecidas no âmbito do trabalho.  Pois a SB é desenvolvida a partir de situações crônicas de estresse que se desenvolvem por meio das relações interpessoais intensas no dia a dia de trabalho. No entanto, estudos apontam que um bom ambiente organizacional de trabalho auxilia na melhora dos sintomas da SB. Para que isto aconteça é necessária a conscientização da gestão da instituição possibilitando a criação de práticas que favoreçam a saúde do seu colaborador.

 

 

 

 

 

 

 

Imprimir Notícia