Faculdade Murialdo

Palestra sobre Mastocitoma Canino reúne acadêmicos e profissionais de Medicina Veterinária

Na noite desta quarta-feira, 8 de novembro, a Faculdade Murialdo (FAMUR), em parceria com a AGENER - União Saúde Animal, promoveu a palestra “O que devemos saber sobre Mastocitoma Canino”, com a especialista em Medicina Veterinária, Ana Claudia Tourrucôo. O evento ocorreu no Miniauditório I da Unidade Ana Rech (Avenida Rio Branco, 1.595).

A iniciativa proporcionou aos participantes conhecer os desafios dos tratamentos oncológicos, bem como experiências comerciais ligada à profissão.

De acordo com a coordenadora do curso de Medicina Veterinária, Drª Fernanda Flores, o tratamento oncológico e os procedimentos da Clínica Veterinária não têm uma regra específica (Receita de bolo), pois cada caso e cada indivíduo deve ser avaliado de forma criteriosa e responsável. “A oportunidade dos nossos acadêmicos terem contato com um profissional oncologista referência na região, bem como estarem à frente dos desafios dos tratamentos oncológicos é fundamental. Além disso, é uma chance de despertar curiosidade pela prática profissional na área comercial, através do trabalho desenvolvido pelos laboratórios parceiros”, ressaltou.

Segundo a acadêmica Karla Pires, a atividade fez com que ela se sentisse em uma roda de conversa, onde todos puderam perguntar, participar, trocar e compartilhar experiências. “Foi muito importante para o nosso desenvolvimento profissional e o tema abordado é bem pertinente”, destacou.

 

Sobre a palestrante: possui graduação em Medicina veterinária pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é chefe na Ana Tourrucôo Oncologia Veterinárias. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Oncologia Veterinária, Acupuntura e Fitoterapia Chinesa.

 

Sobre a Mastocitoma:   é uma neoplasia com origem nos mastócitos, células imunitárias conhecidas pela sua participação nas reações alérgicas. O Mastocitoma surge normalmente na pele (sendo uma das neoplasias de pele mais comuns no cão) ou internamente, por exemplo, no fígado ou baço. Determinadas raças de cães estão predispostas tais como os Boxers e os Terriers. Muitos Mastocitomas são assintomáticos e o que leva um dono a procurar o veterinário é a detecção de um nódulo na pele. No entanto, a libertação de histamina pelas células tumorais pode provocar úlceras gástricas e o surgimento de vómitos e sangue digerido nas fezes. (Fonte: www.chv.pt)

 

Fotos: Divulgação

Imprimir Notícia