Faculdade Murialdo

6 filmes indispensáveis para estudantes de Tecnologia

Em 1902, o francês Georges Méliès escreveu e gravou “Viagem à Lua” (Le Voyage dans la Lune, no nome original, em francês). Além de ter sido o filme mais popular da época, ele é considerado o primeiro filme de ficção científica, trazendo à tela a história de exploradores chegando à Lua.

A partir daí a tecnologia passou a servir como um plano de fundo rico para as mais diversas indústrias cinematográficas de Hollywood. A indústria do cinema nos oferece um vasto cardápio de discussões que servem de apoio àqueles que desejam atuar nas áreas de Tecnologia e Ciência, desde a Inteligência Artificial até a Manipulação Genética.

Preceitos da tecnologia são usados a todo momento pela indústria do cinema. Seja em filmes de ficção-científica, ação ou em qualquer outro, temas como redes sociais, mercado de dispositivos eletrônicos e inteligência artificial atraem os mais diversos roteiristas.

Enquanto títulos como “Transformers” e “Tron” escorregam ao apresentar robôs alienígenas que não obedecem às leis da física ou universos digitais que passam dos limites do acreditável, há filmes que levam a tecnologia a sério e se tornam imprescindíveis para qualquer um que trabalhe ou seja um fã nestas áreas.

Na lista abaixo podemos conferir seis filmes que fogem do óbvio e são absolutamente obrigatórios para quem vive o universo da tecnologia.

 

 

Ex_Machina: Instinto Artificial (2015)

Uma ficção científica passada nos tempos de hoje, sem viagens espaciais, sem cores azuladas, onde não se defende o patriotismo ou a honra americana e não há monstros.

O premiado “Ex_Machina: Instinto Artificial” já nasceu como um cult moderno ao retratar todos os obstáculos técnicos e éticos na construção de uma inteligência artificial. O roteiro questiona o embate entre ricos e pobres, entre patrões e empregados, entre homens e mulheres, entre humanos e máquinas, entre pupilos e mentores. 

Fica claro que o filme traz ao cinema, além de uma obra de grande esmero artístico, um texto cheio de referências a pesquisas do mundo real sobre o assunto, além de provar que não são necessários explosões, efeitos especiais e mundos fantásticos para estimular uma reflexão sobre a natureza humana diante da tecnologia. 

 

 

A Rede Social (2010)

Hoje em dia, o Facebook é uma das principais empresas de tecnologia do mundo e, sem dúvida, a maior rede social da internet responsável por conectar mais de 1 bilhão de pessoas diariamente. Entender como esse monstro da tecnologia nasceu e cresceu é importante para quem quer entender o mundo moderno.

O filme também traz o mérito de mostrar que, quando se pretende empreender na área, a capacidade de transformação e reinvenção faz toda a diferença.

A Rede Social aspira, e consegue em boa parte do tempo, ser o retrato de uma geração que nasceu com o boom da internet e, ao chegar à idade adulta, descobre que a interação humana não é necessária para haver interatividade.

 

 

Ela (2013)

A premissa parece furada: um homem se apaixona pelo seu sistema operacional. Mas por baixo deste romance, há uma profunda discussão sobre as relações entre humanos e máquinas nos tempos modernos, além de como passamos a ignorar o mundo real e dar preferência à tela do smartphone.

“Ela” relaciona também as implicações ligadas ao surgimento de uma inteligência artificial capaz de se comunicar naturalmente com humanos, como as assistentes virtuais já começam a fazer. É o tipo de filme que te faz pensar por horas.

 

 

O Jogo da Imitação (2014)

O filme mostra a história de Alan Turing, mais tarde conhecido como o pai da informática e sua tentativa incansável de quebrar um código de comunicação nazista.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o governo britânico monta uma equipe que tem por objetivo quebrar o Enigma, o famoso código que os alemães usam para enviar mensagens aos submarinos. Um de seus integrantes é Alan Turing, um matemático de 27 anos estritamente lógico e focado no trabalho, que tem problemas de relacionamento com praticamente todos à sua volta. Seu grande projeto é construir uma máquina que permita analisar todas as possibilidades de codificação do Enigma em apenas 18 horas, de forma que os ingleses conheçam as ordens enviadas antes que elas sejam executadas.

Estima-se que Alan Turing tenha encurtado a guerra em cerca de dois anos poupando 14 milhões de vida com sua invenção.

 

 

Steve Jobs (2016)

No filme, a história real do suposto e controverso gênio que deixou sua marca na indústria da tecnologia é contada de forma surpreendente. Para o bem ou para o mal.

“Steve Jobs” não era uma pessoa simples ou fácil de lidar. As histórias que cercavam o criador da Apple se tornaram mitos tão grandes quanto o sucesso de suas invenções. Discutir a importância ou a influência que ele teve no mundo moderno demandaria um esforço suscetível a erros e reclamações de todos os lados.

O roteiro trata de um longa de três atos, focados nos lançamentos do Macintosh, da NeXT e do iMac. Dessa maneira, detalhes dos computadores são obrigatoriamente discutidos, mas servem de pano de fundo para o verdadeiro tema que o filme tenta discutir: a psicologia por trás das decisões e dos feitos de Jobs.

 

 

O Quinto Poder (2013)

A história começa quando o fundador do WikiLeaks, Julian Assange e seu colega Daniel Domscheit-Berg se juntam para se tornarem cães de guarda secretos dos privilegiados e poderosos. 

Com um pequeno orçamento, eles criam uma plataforma que permite o vazamento de dados sigilosos por delatores de forma anônima, lançando uma luz no obscuro recesso de segredos governamentais e crimes corporativos. Logo, eles passam a divulgar mais notícias duras do que as organizações de mídia mais lendárias do mundo combinadas.

Mas quando Assange e Berg obtêm acesso à maior coleção de documentos de inteligência confidenciais da história dos EUA, eles brigam entre si e contra uma questão que define o nosso tempo: qual é o custo de guardar segredos em uma sociedade livre — e qual é o custo de expô-los?

 

Fotos: Divulgação

 

 

 

Imprimir Notícia