Faculdade Murialdo

Conhecido pela conversa fácil e postura participativa em sala de aula, sempre acompanhado pelo seu chimarrão, Álisson Besutti, 29 anos, é acadêmico do curso de Agronegócio desde 2016.  

 

Álisson é caxiense, mas seus familiares são naturais da pequena cidade de Antônio Prado, na Serra Gaúcha. Produzem uva, frutas e hortaliças, e, como o acadêmico coloca, “ainda fazem o ciclo de produção e distribuição nos mercados de Caxias do Sul”.

 

Embora de raízes agrícolas, o seu convívio com a pecuária, inicialmente com a equinocultura, através de exposições e com o ferrageamento de animais de competição, despertou seu interesse e afinidade pelo campo e pela produção animal.

 

Esse interesse se aliou à sua escolha pelo curso de Agronegócio da FAMUR, inicialmente através da indicação de um amigo. Atualmente, Álisson é vendedor externo de máquinas e implementos agrícolas, além de ser assador profissional de churrasco em eventos renomados em Caxias do Sul e outras cidades do Estado.

 

Aliás, ser assador “do tradicional churrasco campeiro”, como ele denomina, é a grande paixão do acadêmico, que explica o que identifica esse tipo de prática: “o fogo de chão é feito à lenha; na carne bovina é utilizado somente sal grosso, e, na ovina, temperos; o tempo do assado fica entre 4 e 12 horas”.

 

Para Álisson, esse costume do assado tradicional tem uma ligação muito grande com o Agronegócio. “Em primeiro lugar, há a valorização do sistema produtivo de carne de qualidade, com os animais criados na pastagem, mantendo a pecuária familiar”, explica.

 

O acadêmico também exalta a questão cultural: “O churrasco tradicional não significa somente comer carne. Significa lembrar dos nossos antepassados. O churrasco tem o poder de reunir amigos e família”, avalia.

 

A pecuária, e em especial, a bovinocultura de corte, não é somente importante para a tradição e para a cultura gaúcha. O Brasil é um dos principais consumidores e produtores de carne bovina do mundo, e além disso, é o pais em que tanto o consumo como a produção mais cresceu nos últimos 15 anos. Uma paixão que movimenta mercados, cria oportunidades, desenvolvimento e emprega e apaixona muita gente.